Morre no Rio de Janeiro, na madrugada desta terça feira 16, aos 71 anos a atriz, apresentadora e modelo Elke Maravilha. Elke estava internada na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras, Rio, desde o dia 20 de junho aonde tinha sido operada de uma úlcera e ficou internada em coma induzido do qual ela nunca voltou, ela morreu por volta da 1h.

Frederico, o irmão da atriz contou que depois da cirurgia para tratar uma úlcera, devido a que ela tinha diabetes, acabou não respondendo à medicação”.

1469106126515

A família ainda não definiu data e local do velório e sepultamento, que não devem ocorrer nesta terça.

Antes de ser internada, Elke vinha se apresentando pelo país com o espetáculo “Elke canta e conta”, onde falava de passagens de sua vida desde a infância na Rússia, os casamentos e a vida como modelo e apresentadora.

unnamed (1)

JGE-2642f94a2fcac17e862d86f67e1df866

Durante a internação, Frederico disse em entrevista que Elke estava se recuperando devagar principalmente por conta da idade da atriz. Conforme as dores foram diminuindo, a medicação foi sendo reduzida. Sem imaginar que o pior estava por vir, Frederico disse, ela já está sorrindo, pisca o olho, está mandando beijos.., está de muito bom humor e passa bem.

Vejam a aseguir a entrevista completa “imperdível”, vale a pena cada segundo dela em “De frente com Gabí”

No perfil de Elke no Facebook foi postado o seguinte:

“Avisamos que nossa Elke já não está por aqui conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa. Que todos os deuses, que ela tanto amava, estejam com ela nessa viagem. ‘Eros anikate mahan’ (O amor é invencível nas batalhas). Crianças: conviver é o grande barato da vida, aproveitem e convivam.”

60905e743678c18a2692c7050f156474

Carreira
Elke Georgievna Grunnupp, em russo Элке Георгевна Груннупп nasceu na Rússia, em 1945. Filha do russo George Grunupp e da alemã Liezelotte von Sonden.

img-702348-elke-maravilha-no-encontro20151117121447768852

Elke nasceu na antiga Leningrado, hoje São Petesburgo, chegou ao Brasil ainda criança com os pais fugindo de perseguições políticas do stalinismo soviético para morar em Minas Gerais.

27jul2006---elke-maravilha-na-sala-de-sua-casa-no-bairro-do-leme-no-rio-de-janeiro-nesta-foto-a-atriz-segura-uma-imagem-de-quando-era-crianca-1361474109971_564x430

O casal e os três filhos, privados da cidadania russa, se estabeleceram primeiramente em um sítio em Itabira, MG. Em 1955 sua família arrendou terras em Atibaia, SP, dedicando-se ao cultivo de morangos. Em seguida, a família mudou-se para Bragança Paulista, SP, onde também cultivou a terra. De volta a Minas Gerais, foi escolhida Glamour Girl em Belo Horizonte em 1962. Foi nesse período que foi naturalizada brasileira. Aos 20 anos, ela saiu de casa para morar sozinha no Rio de Janeiro, RJ, onde arrumou emprego como secretária bilíngue, valendo-se de sua fluência em oito idiomas, muitos deles aprendidos no próprio ambiente familiar, além de ser a mais jovem professora de francês da Aliança Francesa e de inglês na União Cultural Brasil – Estados Unidos

elke1 (1)

Aos 24 anos, em 1969  iniciou os trabalhos como modelo, no mesmo período em que se casou com o escritor grego Alexandros Evremidis, o primeiro de seus oito casamentos, a carreira na televisão iniciou na “Discoteca do Chacrinha”. Depois fez novelas, filmes e peças teatráis.

elke-maravilha-lounge-2

Sua vida pessoal sempre foi conturbada. Morou em diversos países e teve oito casamentos, com homens de diversas nacionalidades. Fez três abortos, fruto de seus três primeiros casamentos, pois jamais quis ser mãe, e sempre achou que com seu jeito rebelde de ser, jamais poderia educar uma criança de forma digna. Contou em entrevistas que tomava pílula anticoncepcional, mas fora enganada por alguns desses maridos, que queriam ser pais, e em vez de tomar a pílula certa, Elke tomava a pílula de farinha. Após descobrir isto, começou a usar DIU. Elke também foi usuária de todos os tipos de drogas ilícitas, além de todos os tipos de bebida alcoólica. Dizia que não tinha preferência por nenhum tipo de homem, e sim, que tinha pressa de namorar.

elke8

Dona de um estilo e coragem que marcaram sua vida Elke passou seis dias presa durante o regime militar por desacato, após rasgar um cartaz de procurado com a foto do filho da estilista Zuzu Angel, para quem desfilava.

Elke Maravilha na foto a seguir ao lado do querido amigo Fernando Reski

FER

Nem sempre a vida da atriz foram os estudios e palcos, foi também secretária, bibliotecária, bancária, professora e tradutora. Casou-se várias vezes, já disse ter feito aborto, foi rainha de associação de prostitutas no Rio, estrela do cinema e viveu a vida intensamente.

cena-de-meu-passado-me-condena-1382561323552_956x500-620x324

Elke fez cursos de cinema e teatro e trabalhou na televisão: foi batizada como Elke Maravilha pelo jornalista Daniel Más, e se tornou conhecida ao ser chamada dessa forma por Chacrinha, o grande Velho Guerreiro, com quem ela trabalhou durante 14 anos, a partir de 1972. Elke Maravilha tornou-se popular na TV brasileira nos anos 70 e 80, aparecendo como jurada de programas de calouros do Chacrinha e de Silvio Santos,  nesses programas sempre usava perucas e roupas chamativas e buscava passar mensagens positivas para os espectadores. Em 1993, estreou o ‘Programa da Elke’, onde recebia personalidades para bate-papo e entrevistas

img-730640-elke-maravilha20160726091469537307

20160816-elke-750x415

Começou a trabalhar como atriz com Grande Otelo,  atuou em filmes como Pixote, de Héctor Babenco,  Quando o Carnaval Chegar, Xica da Silva de Cacá Diegues, Por sua interpretação em Xica da Silva, Elke foi premiada com a Coruja de Ouro como melhor atriz coadjuvante.No teatro foi expoente do Movimento de Arte Pornô,  sua estréia como atriz na televisão foi em 1986 como dona de um bordel na mini-série Memorias de um Gigolô, com direção de Walver Avancini, e a atuação lhe rendeu o convite para ser madrinha da Associação das Prostitutas do Rio de Janeiro.

No video a seguir Super Pop visita a Casa da Elke, outro momento que vale a pena assistir.

Nas fotos a seguir Elke ao lado do amigo Pedro de Lara com quem fez o filme “Elke Maravilha contra o Homem Atômico”

01

Em 2016 a atriz estava em cartaz com Elke Canta e Conta, peça itinerante sobre sua história, em que contava da sua infância na Rússia, dos casamentos e de sua vida como modelo e apresentadora.

elke-700x700

 

Actualidades Online rende a sentida e  merecida homenagem a esta verdadeira guerreira da vida, foi a rainha da diversidade, uma mulher que só levou alegrías a quem a conheceu, tivemos o prazer de conhecer Elke pessoalmente no Rio de Janeiro e é conconhecimento de causa que podemos afirmar que esta é uma das perdas mais significativas que o mundo artístico teve. Va com Deus, va em paz, va alegrar o ceu, aqui ficamos nos.., na saudade mas com um sorriso deixado como presente por quem passou nesta terra para deixar marca. Adeus Elke Georgievna Grunnupp, muito obrigado “Elke Maravilha”